Pegasus

Fazenda Monte Olimpo

Pegasus


COMO UMA DEUSA

Os gregos antigos queriam entender tudo neste mundo – até a alma feminina. Para tanto, recorriam às deusas do Olimpo, com suas histórias fantásticas de poder, paixão, desencontros, vingança, intriga e sensualidade. Mais de três mil anos depois, Athena, Ártemis, Hera, Deméter, Perséfone e Afrodite continuam sintonizadas com os mistérios femininos.

Perceber qual rege sua vida pode ajuda-la a avaliar as forças [e as fraquezas] do seu jeito de ser. Athena, por exemplo, representa a mulher de muita ação e poucas lágrimas, voltada 24 horas para o trabalho, mas carente de atenção. No extremo está Perséfone, submissa e sensível, com dificuldade para compromissos, porém aberta ao contato físico e ao mundo espiritual.

“As deusas falam direto ao coração, rompendo defesas de forma sutil e inteligente”, diz a psiquiatra e psicoterapeuta Neusa Steiner, que durante sete anos usou a mitologia grega com grupos de mulheres. Ela lembra que nem sempre é fácil identificar a divindade dominante. “Às vezes, duas brigam para ganhar o trono.” Pode ocorrer também de uma deusa apagada vir à tona numa fase da vida.

A psiquiatra Jean Shinoda Bolen, autora de As Deusas e a Mulher, afirma que Deméter sempre aflora na maternidade, ainda que a mulher em questão seja uma Ártemis, que pouco valoriza a gravidez. No final da reportagem, você encontra um teste para descobrir qual deusa olímpica mais influencia sua vida no presente.

FAÇA O TESTE

[Esta matéria foi extraída da revista Claudia de julho de 2001].