Pegasus

Fazenda Monte Olimpo

Pegasus

MINOTAURUS 

O grande Zeus teve muitas amantes mortais, que atraía usando disfarces diferentes. Muitas lhe deram filhos cujos destinos afetaram o mundo todo. Uma delas foi Europa, que Zeus vira caminhando na praia. Ele se transformou num bonito e elegante touro branco como a neve e aproximou-se dela. Maravilhada em ver um animal tão belo e tão domesticado, Europa o acariciou e pendurou flores em seus chifres. Depois, com súbita coragem, montou sobre ele e deixou que transportasse até o mar. 
  
Uma vez na água, Zeus nadou com Europa até a ilha de Creta, onde, disfarçado em águia, dormiu com ela. Ela lhe deu três filhos: Minos,
Radamanthys e Sarpedon. 
  
Depois que Zeus a abandonou, Europa casou-se com Astério, rei de Creta, que criou os filhos como se fossem seus, fazendo de Minos seu herdeiro. No devido tempo, Minos tornou-se rei e tomou a adorável Pasiphae como esposa. 
  
No seu orgulho e glória, Minos gabou-se de que os deuses atenderiam seus desejos. Para provar isto, construiu um altar para Poseidon na praia e orou pedindo que um belo touro viesse até ali vindo do mar. Minos prometeu que sacrificaria o touro aos deuses. 
  
Imediatamente um touro branco surgiu das ondas. Mas era um animal tão belo que Minos não conseguiu sacrificá-lo; em vez dele, matou um touro de seu próprio rebanho, e guardou o presente dos deuses para si mesmo. Por essa insolência, os deuses providenciaram uma
terrível vingança.   

Aphrodite, deusa do amor, fez com que a esposa de Minos, Pasiphae, se apaixonasse pelo touro. Horrorizada, mas incapaz de resistir ao poder de Aphrodite, Pasiphae confiou seu segredo a Daedalus, o grande artesão que servia o rei Minos e sua corte em Knossos.

O esperto Daedalus construiu uma vaca de madeira oca, dentro da qual Pasiphae se escondia. Lá dentro, sem ser vista, era capaz de passar o tempo com o touro, seu amante. Mas como punição adicional, os deuses fizeram com que Pasiphae desse à luz a um monstro, meio homem, meio touro, chamado Minotaurus. 
  

Minos ficou horrorizado com o castigo de Pasiphae, e procurou conselho com um oráculo. “Esconda sua vergonha com
esperteza”, foi o que lhe disseram. Foi então que pediu a Daedalus para construir o labirinto, um tortuoso amontoado de corredores com curvas súbitas e becos sem saída, através do qual nenhum homem podia descobrir o caminho.   
No centro, colocou o Minotaurus. Para alimentá-lo, exigiu sete jovens e sete virgens da cidade de Athenas, a cada nove anos. Eram enviados de navio para Creta e enfiados no labirinto, e com eles o Minotaurus se alimentava. Por duas vezes Athenas pagou esse tributo mortal, devido pelo rei Egeu, porque, anos atrás, tinha participado da morte do filho de
Minos.