Pegasus

Fazenda Monte Olimpo

Pegasus


Deus dos caçadores, pastores, florestas, coisas selvagens e da vida bucólica, Demônio. 

Era um dos mais estranhos deuses Gregos. Metade cabra; de rosto desfigurado, de barba, chifres e delicados cascos de bode. Era adorado pelos egípcios e pelos gregos. Freqüentava lugares solitários, selvagens, tocando um conjunto de flautas de junco. Era apaixonado pela ninfa Siringe que fugiu dele e pediu aos deuses que a transformasse em junco. Comumente envolvia-se em jogos eróticos com ninfas e garotos. Era amigo de Dionísio que o levava em suas viagens. Os que sentiam sua presença eram freqüentemente tomados de um medo terrível, e fugiam em pânico. Há pessoas que ainda acreditam que sua presença é sentida nos lugares solitários. Diz uma história que, durante o reino do imperador romano Tibério, entre 14 e 37 d.C., um navio indo à direção da Itália e passando pela ilha grega de Paxor escutou uma voz divina dizendo: "O grande deus Pã está morto!" Os marinheiros do navio repetiram o grito quando avistaram terra firme, comunicando a todos com ouvidos para escutar: "O grande deus Pã está morto!" E um terrível pranto se ergueu na terra vazia.